Projeto “Criança Aprende Brincando”

CMEI VILA IZAURA

Professoras: Mônica e Dinahi

Agrupamento 2 Anos Matutino

Duração: Outubro e Primeira Quinzena de Novembro / 2009

 

 

 

 

Projeto:

Criança aprende brincando

 

Introdução:

 

As crianças aprendem brincando. Certa vez uma professora, na sala de aula do ensino superior baseou a explicação sobre o brincar dizendo que a brincadeira representa para a criança o que o trabalho representa para o adulto.

Brincar é uma das atividades fundamentais para o desenvolvimento da identidade e da autonomia. O fato da criança, desde muito cedo, poder se comunicar por meio de gestos, sons, e mais tarde representar determinado papel na brincadeira faz com que ela desenvolva sua imaginação. Nas brincadeiras, as crianças podem desenvolver algumas capacidades importantes, tais como a atenção e a imaginação. Amadurecem algumas capacidades de socialização, por meio da interação, da utilização e experimentação de regras e papeis sociais.Ao brincar de faz-de-conta, as crianças buscam imitar, imaginar, representar e comunicar de uma forma específica que uma coisa pode ser outra, que uma pessoa pode ser uma personagem, que uma criança pode ser um objeto ou um animal, que um lugar pode ser outro. Brincar, é assim, um espaço no qual se pode observar a coordenação das experiências prévias das crianças e aquilo que os objetos manipulados sugerem ou provocam no momento presente. Brincar constitui-se, desta forma, em uma atividade interna das crianças, baseada no desenvolvimento da imaginação e na interpretação da realidade, sem ser ilusão ou mentira.

Atualmente deparamos com muitos brinquedos eletrônicos que não exigem esforços das crianças para o estímulo da sua criatividade, são brinquedos que fazem praticamente tudo sozinhos e não precisa de outros amigos para se brincar, com isso a criança começa a sentir acomodada e se vê brincando sem a necessidade de ter um amigo junto. Por isso é importante que se resgate brincadeiras que estimulem a criação, o raciocínio lógico e a participação de vários integrantes para que a brincadeira possa acontecer.

Dessa forma, este projeto tem o intuito de possibilitar que as crianças tenham contato com diversas brincadeiras e sintam prazer em estar com o outro.

 

 

 

Justificativa:

 

A brincadeira faz com que a criança construa sua realidade, e perceba a possibilidade de mudança na sociedade, na qual ela faz parte. Existe uma compreensão do mundo e das atitudes humanas.O brinquedo, visto como objeto, suporte da brincadeira, permite a criança criar, imaginar e representar a realidade e as experiências por ela adquiridas.Segundo Kishimoto, citado por Santos (1999, p. 24) “…um dos objetivos do brinquedo é dar a criança um substituto dos objetos reais, para que possa manipulá-las”. Desta forma, o brinquedo é visto como representação das experiências, da realidade que a criança faz parte.Uma das características principais do brinquedo.Além disso, o brinquedo é visto como um fruto da imaginação. E através dele que a criança pode tornar o mundo imaginário que ele criou.Vygotsky (1989) afirma que:

“é enorme a influencia do brinquedo no desenvolvimento de uma criança…é no brinquedo que a criança aprende a agir numa esfera”.

 

Desse modo, fica explícito que é imprescindível que a criança tenha contato com todos os tipos de brinquedos e brincadeiras, que sejam momentos prazerosos e de convívio com grupos de outras crianças e que brinquem desinteressadamente.

 

 

Objetivos

 

Geral:

 

- Resgatar tipos diferentes de brinquedos, brincadeiras e maneiras de brincar no cotidiano da criança e a história do lúdico;

 

Específicos:

 

- Oferecer diferentes tipos de brinquedos para as crianças, tais como: blocos lógicos, figuras geométricas, peças de alinhavo, carrinhos, bonecas, fantasias, brinquedos de sucatas, apitos, cataventos, entre outros.

 

- Criar brincadeiras em conjunto com as crianças, tais como: adoleta, chefinho mandou, traissi, vivo ou morto, dança do saci, amarelinha, caracol, serpente, corre cotia, escravos de jó, entre outras.

 

- Construir diferentes tipos de brinquedos de sucatas juntamente com as crianças e brincar com elas. (telefone de lata de extrato, chocalho de garrafa com feijão, bateria de lata de leite ninho, flores de embalagem de danoninho, entre outras).

 

 

Metodologia:

 

Para o desenvolvimento do Projeto, professora e agente convidará as crianças para brincar, conforme os objetivos específicos. Dessa forma os brinquedos de sucatas serão desenvolvidos juntamente com as crianças e socializado nos momentos destinados às brincadeiras, sempre deixando a criança à vontade para expor suas dúvidas e seus anseios durante as brincadeiras.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Referências Bibliográficas:

 

- Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Site: http://www.oei.es/inicial/curriculum/rcnei_brasil1.pdf, pesquisado em 26/09/2009.

 

- MALUF, Ângela Cristina Munhoz. Brincar, prazer e aprendizado. Editora Vozes: São Paulo, 2003.

 

- Pesquisa no site: http://www.centrorefeducacional.com.br/vygotsky.html

 

SANTOS, Santa Marli Pires. Brinquedoteca. A criança, o adulto e o lúdico. 4 ed. Petrópolis, RJ:1999.

 

 

 

Achei interessante: http://www.scribd.com/doc/15021574

 

 PROJETO: OS BRINQUEDOS, DIFERENTES TIPOS DE BRINCADEIRAS E A IMPORTÂNCIO DO BRINCAR NO COTIDIANO DA CRIANÇA

 

 

Brincar é coisa muito séria. Toda criança deveria poder brincar. Através da brincadeira a criança atribui sentido ao seu mundo, se apropria de conhecimentos que a ajudarão a agir sobre o meio em que ela se encontra. Em alguns momentos ela vai reproduzir, em suas brincadeiras, situações que presenciou em seu meio. Por exemplo, ela pode efetuar o seguinte diálogo com sua boneca: “Hoje está frio, por isso você não pode tomar sorvete”, “Nana, nenê…”. A criança vai repetir com seus brinquedos e amigos o modo pelo qual os adultos a tratam e conversam com ela.As brincadeiras aparentemente simples são fontes de estímulo ao desenvolvimento cognitivo, social e afetivo da criança. Também é uma forma de auto-expressão. O faz-de-conta estimula a fantasia, a criatividade e dá possibilidades à criança de construir símbolos, cenários, personagens únicos ou qualquer coisa que desejar.

A fantasia sempre entra em cena

Quando o quarto está bagunçado, são as gatas borralheiras e a mãe, madrasta. Quando a despensa está cheia: carrinhos em punho porque o supermercado é logo ali, embaixo da escada. Isso quando não se dividem entre a Chapeuzinho Vermelho, a Vovó, o Lobo Mau, as Garotas superpoderosas e os Três porquinhos.

 

 

Benefícios do brincar

 

-Mantém laços culturais;

 

-Elabora as relações de amizade e sociabilidade;

 

-Melhora as habilidades sensoriais e motoras;

Desenvolve a capacidade de lidar com frustrações;

 

Solicita à inteligência e desenvolve estratégia e sabedoria;

 

Alivia tensões;

 

Desperta criatividade, auto-conhecimento, respeito às regras e às diferenças;

 

Desenvolve a capacidade de negociação, administração de conflitos e solidariedade;

 

Incentiva o conhecimento de direitos e deveres;

 

Estimula o empreendedorismo;

 

Oferece noções de trabalho em grupo e atuação cooperativa.

 

 

Uma questão de hábito ou uma necessidade?

 

Para a criança, brincar é viver. Esta é uma afirmativa bastante usada e, certamente aceita. Poderíamos dizer que todos os adultos, com maior ou menor intensidade, acreditam que as crianças não vivem sem seus brinquedos.Muitos estudiosos defendem a idéia de que a criança brinca porque gosta de brincar, e quando isso não acontecer, alguma coisa não está bem com ela. Enquanto uns dizem que a criança brinca por prazer, outros dizem que ela brinca para dominar angústias.

Do ponto de vista filosófico, o brincar é abordado como um mecanismo para contrapor à racionalidade. Sabe-seque a característica que define o ser humano é a razão e a emoção, mas foi a racionalidade que perdurou durante séculos como instrumento de autodeterminação da pessoa e proclamada como a sua especificidade, em detrimento da emoção.Do ponto de vista sociológico, o brincar tem sido visto como a forma mais pura de inserção da criança na sociedade. Se o conhecimento social é a base sobre a qual os grupos sociais chegam a um acordo a respeito das convenções estabelecidas pelo próprio grupo, os valores, crenças, hábitos, e modos de produção são conhecimentos assimilados pela criança através da brincadeira e do uso do objeto brinquedo, que é produzido pelo homem e colocado a disposição da criança.Do ponto de vista psicológico, o brincar está presente em todo o desenvolvimento da criança nas diferentes formas de modificação de seu comportamento; pois na formação da personalidade, nas motivações, as interações criança/família e criança/sociedade estão associadas aos efeitos do brincar.Do ponto de vista da criatividade, tanto o ato de brincar como o ato criativo estão centrados na busca do “eu”. É uma busca constante para descobrir algo novo. É no brincar que se pode ser criativo, e é no criar que se brinca com as imagens, símbolos, signos. A criança que é estimulada a brincar com liberdade terá grandes possibilidades de se transformar num adulto criativo.Do ponto de vista psicoterapeutico o brincar tem a função de entender a criança nos seus processos de crescimento e de remoção dos bloqueios do desenvolvimento, que se tornam evidentes. O brincar é universal, é a própria saúde, facilita o crescimento, conduz aos relacionamentos grupais. É uma forma de comunicação consigo mesma e com os outros, por si só é uma terapia.Do ponto de vista pedagógico o brincar tem-se revelado como uma estratégia poderosa, para a criança aprender.

 

Por que brincar?

 

Brincar é essencial à saúde física, emocional e intelectual do ser humano. Brincar é coisa séria porque na brincadeira não há trapaça, há sinceridade, engajamento voluntário e doação. Brincando nos reequilibramos, reciclamos nossas emoções e nossa necessidade de conhecer e reinventar.É brincando que a criança mergulha na vida, sentindo-as nas dimensões de suas possibilidades. A brincadeira espontânea proporciona oportunidades de transferências significativas que resgatam situações conflituosas.

 

Sugestões de brincadeiras:

 

Cata-vento:

 

Para crianças de dois a cinco anos.

 

Objetivos:

 desenvolver a curiosidade, perceber os fenômenos da natureza e a mistura de cores gerada pelo movimento.

 

Descrição:

o cata-vento é próprio para brincadeiras ao ar livre.

 

Material:

 palito de churrasco, vareta, taquara, cartolina colorida, caneta hidrocor ou tinta guache, prego ou percevejo.

 

Confecção:

 selecione uma vareta. Corte um quadrado de cartolina (10cm x 10cm), traçar linhas retas unindo todos os cantos e marcando o centro, formando assim quatro triângulos. Pintar cada triângulo de uma cor. Cortar o quadrado pelas linhas até 2cm antes de chegar ao centro. Unir, alternamente, os extremos dos triângulos ao centro e pregar com percevejo ou prego na vareta.

 

Como brincar:

entregar o cata-vento para a criança e incentivá-la a correr para observar o brinquedo girar.

O baú de roupas

 

Para crianças de 2 a 7 anos.

 

Objetivos:

 desenvolver a imaginação e o “faz-de-conta”.

 

Desenvolvimento:

as crianças retiram do baú roupas e acessórios de adultos. Cada criança veste a roupa escolhida. Organize um desfile de modas ou faça com que ela dramatize situações. Os menores podem apenas se fantasiar. Não esqueça de levá-los até o espelho para se enxergarem, pois terão reações diversas, como: medo, alegria, estranheza. Converse sobre tais sentimentos. Caso a criança comece a chorar retire a fantasia.

 

 

Por que brinquedos?

 

“Os brinquedos são meios intermediários entre a realidade da vida que a criança não pode abarcar e a sua natural fragilidade.” (SEGUIN)

O brinquedo é um convite ao brincar, porque facilita e enriquece a brincadeira, proporcionando desafio e motivação.Ao ver o brinquedo, a criança é tocada pela sua proposta; reconhece umas coisas, descobre outras, experimenta e reinventa; analisa, compara e cria. Sua imaginação se desenvolve e suas habilidades também. Enriquecendo seu mundo interior, tem mais coisas a comunicar e pode, cada vez mais, participar do mundo que a cerca.

 

Brinquedos que podem ser construídos de acordo com a faixa etária

 

2 a 3 anos:

Casinha de boneca;

 

Baú da fantasia;

Boneca de pano;

Memória tátil;

Memória visual;

 

Memória auditiva;

Memória de peso;

Baralho de imitação;

Quebra-cabeça;

Cada cor no seu lugar;

Dado do tempo;

Mundo colorido;

Cata-vento;

Saco surpresa.

About these ads

Uma resposta to “Projeto “Criança Aprende Brincando””

  1. Luciene Duarte Says:

    Sou praticamente professora leiga no ensino infantil pois faz somente um ano que trabalho com crianças. Amei tudo o que está exposto. Com certeza será muito útil para minha prática pedagógica. Obrigada… Que Deus continue te abençoando

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: